sábado, 22 de fevereiro de 2014

O estilo Skinhead (e algumas desmistificações)

     Quando você ouve a palavra skinhead o que vem em sua mente? Acabei de lê-la (sua mente) agora mesmo e não é nada bom. Quanto preconceito, ou melhor dizendo, quanta ignorância! Sim, eu também já julguei sem conhecer, quem nunca? A verdade é que os skinheads são geralmente associados às ideologias nazistas, mas isso não tem nada a ver. Os skinheads fazem parte de uma tribo urbana como qualquer outra. Pagodeiros podem também simpatizar com os ideais disseminados pelo bigodudo do mal, vulgo Hitler, ou seja, nós julgamos pelo que nos dizem, sem ir saber a verdade, né?

     Então quem são os skinheads?
     Pessoas que compartilham de um estilo de vestir e curtem um som. Como identificar um skinhead, então? se ele não te identificar primeiro (ahahahah brincadeirinha)

-Cabeça raspada (geralmente)
-Camisa pólo ou xadrez
-Calças skinny jeans, escuras, manchadas ou camufladas com a barra dobrada; minissaia; xadrez
-Cardigãs pelas meninas e casacos, meninos
-Botas, mocassins
-Suspensórios
-Gênero musical: soul, ska, reggae jamaicano, rocksteady, punk

     O que me motivou a fazer esse post foi quando vi um álbum de uma autêntica skinhead, a Isabela, que estuda comigo. Achei muito interessante e quis compartilhar. Segue abaixo o texto que ela publicou junto com o álbum, explicando bem como a mídia distorce as informações, o que acaba estimulando o preconceito.

"SKINHEADS: o que a mídia não mostra

É certo que os skinheads (o termo "skinhead", assim como em muitos outros movimentos culturais da juventude através dos anos, foi dado pela mídia sensacionalista) só se tornaram famosos na Inglaterra da década de 1960 pela sua relação com a violência em estádios de futebol, no entanto, o que a mídia costuma descartar sobre esta subcultura é que ela é fruto da mistura entre as culturas jamaicana e inglesa.
A subcultura skinhead teve seu auge em 1969 na Inglaterra, quando garotos (brancos e negros) andavam pelas ruas e com suas botas (que remetem ao operariado), suspensórios (só para segurar as calças mesmo), jeans e cabelo baixo (o comprimento do cabelo nem era tão importante na época, mas, era considerado elegante). A relação com o neonazismo se deu na década de 1970, depois do surgimento do movimento punk.
Acontece que após 1969 a cultura skin entrara em declínio e apartir de 1974, com os punks, veio uma segunda onda de skinheads que ignoravam a verdadeira origem da subcultura. Nessa época, muitos skins tomados por um ideal nacionalista se envolveram com partidos da extrema-direita ingleses; e, como a mídia só cede espaço para escândalos, desde então a subcultura skinhead tem sido noticiada como originada "em reação ao movimento punk" ou "em reação aos hippies"; quando, na verdade, ela apareceu antes desses dois movimentos."


     Esclarecedor, não?!

     Bem, apesar de não curtir muuuito o estilo musical dos skinheads, acho a estética deles super massa.
     Abaixo algumas imagens e vídeos bem legais sobre essa tribo.


corte chelsea















essa é a Isabela
quem inspirou o post







no doubt tem muito ska 



amy também era muito influenciada pelo ska





E aí, curtiram o post? O que acham do estilo skinhead?





Um comentário:

  1. Importante que a verdade chegue a mais e mais pessoas,a subcultura skinhead é linda,uma cultura rica e com acervo musical vasto...sou skinhead Girl e sofro preconceito no meu circulo social e familiar,mais procuro educar as pessoas e passar por cima da ignorância delas,geralmente a muita resistência em aceitar que nossa ideologia nada tem haver com racismo/nazismo/fascismo/homofobia,mais ai eu digo "a informação esta a um clique,bote la no google a historia do skinhead...", veja com seus próprios olhos...ainda ficam resistentes depois de verem,mais com o tempo acabam aceitando e vendo que nada do que falam de nós é verdade...skinhead de verdade,que segue a cultura,não aceita esses preconceitos,nem ideologias fascistas,pelo contrario,sua luta é contra o todo esse tipo de campanha...Oi! Oi! Oi!...

    ResponderExcluir

"Seja bem vindo quem vier por bem."